Ads Top

partner official xerlock spy

NOTÍCIA: IOS 11 VS ANDROID 8 - CONHEÇA OS PONTOS FORTES E FRACOS DOS FUTUROS SISTEMAS

Sobre: O iOS 11 e o Android 8 (O) são as próximas versões dos sistemas operacionais da Apple e do Google. No caso do iOS, ele está presente nos iPhones e deve ser disponibilizado em setembro, junto com a edição deste ano do celular. Já o Android roda em smartphones de diversas fabricantes e, por isso, demora um pouco mais para chegar aos aparelhos, mas deve aparecer, em breve, em celulares da Samsung, Motorola e LG, por exemplo.
Disponíveis em fases de testes, os sistemas já podem ser baixados por desenvolvedores, trazendo melhorias em funções e também no desempenho dos aparelhos. Se você quer descobrir o que muda e qual versão é a mais inovadora, o TechTudo traz um comparativo entre as plataformas. Vale lembrar que levamos em consideração os anúncios feitos pelas empresas e os sistemas em beta; as funções podem mudar até chegarem à versão final.

Visual

Tanto a Apple como o Google não trouxeram mudanças importantes no visual de suas plataformas, porém o sistema do iPhone é aquele que traz mais novidades. No iOS 11, o usuário encontrará alterações em duas áreas importantes do sistema. A primeira é o Centro de Controle – onde ficam os ajustes do modo Avião e do Bluetooth, entre outros –, que agora virá apresentado em página única e terá suporte ao 3D Touch. Já o visual da tela de bloqueio e da central de notificações será unificado, oferecendo a mesma experiência ao usuário.
As mudanças de interface do sistema da Apple prometem ser ainda maiores nos iPads. Nos tablets, o dock da parte inferior da tela foi redesenhado para conter mais ícones e também sugestões de aplicativos por meio de Inteligência Artificial. Além disso, a tela de troca de apps foi refeita para conter mais informações.

A App Store também ganhará novo visual em ambos os aparelhos, ficando mais parecida com o Apple Music. A loja de aplicativos trará matérias e seleções diárias de programas em destaque; terá abas exclusivas para apps e outra para jogos; e reformulará a página com informações sobre o download. Além disso, a busca promete ficar mais eficiente.
Falar sobre mudanças na interface do Android é um ponto delicado, já que cada fabricante pode mudar completamente a aparência do sistema. De qualquer forma, a versão pura do Google trouxe uma nova forma de exibir as notificações.

Para começar, a central agora permite que o usuário silencie um alerta ou salve-o para mais tarde, o que deve tornar o espaço mais limpo e dinâmico. Já os ícones de aplicativos ganharão pontos de notificação que indicarão atividades recentes do app a partir da tela inicial – função que a Samsung e outras fabricantes já incluem por conta própria em seus dispositivos.
O Google também promete diminuir a bagunça causada pela falta de padrão no desenho dos ícones. No Android 8, os desenvolvedores podem ajustar o formato dos atalhos para que eles combinem com a preferência do usuário ou com visual adotado pela fabricante, seja este mais redondo ou quadrado.

Funcionalidades

No iOS 11, os usuários que gostam de fotografias encontrarão novas animações para as Live Photos e também filtros específicos para o modo retrato. Já o Apple Music ganhará funções sociais para que o usuário saiba o que os amigos estão ouvindo no momento – similar ao que o Spotify e similares oferecem. Há ainda integração do AirPlay com caixas de som; mapas de shoppings e aeroportos no Maps; transações financeiras entre pessoas no Apple Pay; e melhorias na transferência de dados entre iPhones.
Durante o WWDC, a Apple também destacou o novo modo “Não Perturbe” do iOS 11. A função será capaz de identificar quando o usuário estiver dirigindo e bloquear notificações de aplicativos, mensagens e chamadas que chegarem ao celular. Assim, a empresa procura reduzir a distração gerada pelo smartphone e, consequentemente, os riscos dos acidentes de trânsito.

Neste ano, a Apple deu atenção especial ao iPad, com funções como um arrastar-e-soltar mais poderoso, para transferir arquivos e textos; um gerenciador de arquivos integrado com a nuvem (chamado de Apple Files ou apenas Arquivos, em português); e um teclado reformulado para dar mais agilidade à digitação. Já Apple Pencil ganhou novidades que permitem anotações em arquivos PDFs, documentos, bloco de notas, páginas da web e outras coisas.

Com grande foco em otimizações, o Android 8 traz menos funcionalidades voltadas para o usuário. Dentre elas, destaca-se a possibilidade de executar vídeos em modo Picture-in-Picture (PIP), que permitirá assistir a vídeos do YouTube sobre outras janelas de aplicativo. Além disso, a nova plataforma ganhou ainda um preenchimento mais rápido de formulários e senhas com o recurso Autofill.
Já a Smart Text Selection, ou seleção de texto inteligente, promete agilizar o processo de copiar informações do celular. Usando Inteligência Artificial, o sistema é capaz de reconhecer nomes de pessoas, estabelecimentos e ruas para selecionar todo conteúdo mais rapidamente e com um único toque.

Por fim, o Google vai trabalhar em áreas vitais do novo sistema. O Google Play Protect, por exemplo, é um antivírus que verificará se todos os aplicativos instalados no telefone estão funcionando bem. Além disso, o Android 8 deverá ser inicializado com o dobro da velocidade da versão 7.0 e trará ainda limitações de apps em segundos planos para prolongar a bateria.

Assistentes pessoais

No iOS 11, a Siri deve se tornar ainda mais proativa e integrada ao sistema, bem como aos aplicativos. A assistente estará presente em áreas como a sugestão de palavras no teclado QuickType, ao fazer buscas no Safari e também ao procurar músicas que você gosta no Apple Music.
Há ainda duas novidades lá fora que podem demorar a chegar à Siri brasileira. A primeira é a tradução dentro da assistente, que por enquanto só vai suportar traduções feitas do Inglês dos Estados Unidos para outras línguas. Além disso, a assistente ganhou uma voz mais natural, que pode ter sido implementada somente na versão norte-americana.

Enquanto a Siri se consolida, o Google Assistente ainda engatinha no Android 8. Para os brasileiros, a nova versão do sistema já deve chegar com a assistente falando português, embora isso possa ser liberado antes. Além disso, a Inteligência Artificial permite que as perguntas sejam digitadas em vez de faladas.
Outra novidade interessante da Assistant é o Google Lens, que usa a câmera do celular para procurar e identificar informações úteis. Com o recurso, o usuário poderá fazer a tradução de uma placa em língua estrangeira, salvar contatos a partir de cartões de visita, adicionar eventos a calendários, entre outras coisas.

Disponibilidade para testes

Por enquanto, o iOS 11 está disponível em versão de testes apenas para desenvolvedores cadastrados na Apple, o que custa cerca de US$ 99 (cerca de R$ 325). Para baixá-lo, é necessário possuir também um aparelho compatível com a nova versão: iPhone 5S ou superior, iPad de 5ª geração, iPad Air e Pro, iPad Mini 2, iPod Touch de sexta geração ou versões superiores.

A recomendação é para que apenas especialistas baixem essa versão do sistema, que ainda pode apresentar erros e falhas de funcionamento.
Experimentar o Android 8, contudo, é uma tarefa bem difícil para os brasileiros. O sistema, além de estar em fase prévia, só pode ser baixado em dispositivos do Google: Nexus 5X, Nexus 6P, Google Pixel, Pixel XL, Pixel C e Nexus Player. Nenhum desses produtos foi vendido oficialmente no Brasil.

Trocando em miúdos

Em uma disputa cada vez mais acirrada, Google e Apple tomaram caminhos diferentes esse ano na atualização de seus sistemas móveis. O iOS 11 traz funções com forte apelo para o usuário e que devem mudar pontos importantes da experiência. Dentre eles, destacam-se a possibilidade de arrastar e colar no iPad, as novas formas de edição de imagens no iPhone e o modo “Não Perturbe”.
Já o Android 8 foca menos em funcionalidades e traz um trabalho mais voltado para os “bastidores”. As mudanças na central de notificações, a velocidade na inicialização do aparelho e as novas limitações de apps para poupar a energia devem impactar o dia a dia do usuário positivamente. Fora isso, o Google Play Protect é uma adição bem-vinda para minimizar os riscos do sistema.

Por se tratar de um sistema seguro e muito otimizado, o iOS 11 pode se dar ao luxo de se concentrar em funções pedidas pelo consumidor. Com isso, a plataforma da Apple tende a atrair mais atenção ao longo do ano, enquanto o Google ainda resolve algumas fraquezas da sua plataforma. De qualquer forma, o jeito é esperar até a primavera no Brasil para baixar as novas versões do sistema.
Tecnologia do Blogger.
×Fechar

Notificações

Disqus Logo